Você precisa conhecer os benefícios da duplicata eletrônica!

Publicado em: 26/09/2022 17:09

Aqui na Theke, estamos sempre antenados às mudanças no mercado financeiro e às demandas de empresas de diferentes tamanhos e segmentos. E claro, como uma plataforma que se comunica com tantas instituições bancárias, através de uma integração simples e transparente, levamos mais que facilidade, mas principalmente uma redução drástica de tarefas no dia a dia de quem faz a gestão financeira

Um dos nossos compromissos em criar facilidades é também levar informação. Por isso, neste artigo, apresentamos a você a duplicata eletrônica. E ainda, explicamos as principais vantagens de aplicá-la na sua empresa.

Fique de olho nessas informações!

Mas o que é a duplicata eletrônica e qual a sua função?

Antes de mais nada, aqui vai um spoiler importante: a utilização da duplicata eletrônica gera  a possibilidade de um aumento de crédito e mais segurança para as empresas. 

No entanto, apesar dos benefícios, sua implementação segue de forma lenta, visto que operações tradicionais ainda fazem parte da realidade de muitas empresas.

Resumidamente, a duplicata eletrônica consiste na digitalização de um título emitido pelo fornecedor a partir da comercialização de um produto ou prestação de um serviço, que tem um prazo de pagamento superior a 30 dias. Sua regulamentação se deu em 1968, a partir da emissão em papel. Já a sua versão escritural (eletrônica), emitida por meio de um sistema informatizado, foi permitida pela Lei 13.775, de 2018.

E se você está se perguntando, qual a função desse documento? A verdade é que ele oferece uma forma de garantir simetria de informação e gera maior segurança tanto para empresas quanto para instituições financeiras. 

Quais são as novidades implementadas nesse modelo?

Dentre as mudanças a ser implementadas, está a emissão através dos sistemas eletrônicos de escrituração geridos por entidades autorizadas como a Central de Recebíveis (Cerc), B3, Central de Registro de Direitos Creditórios (CRDC) e Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP).

Esse é um grande passo para desburocratizar as rotinas administrativas, mas que demanda uma autorização do Banco Central, que só acontece a partir de uma convenção. Porém, ainda não houve um acordo por conta de atrasos na implementação do sistema relativo a recebíveis de cartões de crédito. Todas as entidades que exercem a atividade de escrituração de duplicatas são aptas a documentar esses títulos de crédito, porém devem ser autorizadas por órgãos ou entidades da administração direta ou indireta.

Enfim, podemos dizer que o avanço está próximo, mas como toda grande mudança no mercado financeiro, exige cautela.

E se atualmente você ainda sofre acessando portais de vários bancos para consultar extratos, gerar arquivos de remessa e retorno ou verificar lançamentos, saiba que a solução de integração de Theke, pode acabar com esse processo de uma vez por todas. Você ainda não conhece? Vem conferir!

4 Benefícios da Duplicata Eletrônica

Primeiramente, a implementação deve acontecer de forma gradual, começando com as grandes empresas (faturamento maior que 300 milhões). Depois, devem ser as médias empresas (faturamento anual entre R$ 4,8 milhões e R$ 300 milhões) e, por fim, as pequenas (faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões).

  • Redução nas taxas de juros

Conforme mencionamos anteriormente, títulos mais seguros – para empresas e consumidores – refletem menos riscos às instituições financeiras e, consequentemente, poderão resultar na diminuição das taxas de juros aplicadas na concessão de crédito.

Desse modo, após a sua implementação, a duplicata eletrônica se tornará uma boa alternativa para organizações que precisam de crédito para crescer e desenvolver projetos, mas esbarram nas atuais taxas de juros tão elevadas.

  • Acesso ao crédito

Como a versão digital do documento é muito mais transparente, ou seja, é mitigado o risco de fraudes, há uma forte tendência de aumento no volume de empréstimos liberados.

  • Diminuição de erros de registros

É uma tecnologia pensada para não ter erros, com a centralização de informações e registros. Os erros manuais e dados incorretos são evitados.

  • Prevenção de fraudes

Por fim, a maior vantagem é impedir a emissão de títulos falsos que não apresentam correspondência à dívida real. Um exemplo disso, é a possibilidade de assinatura digital, atribuindo ainda mais confiabilidade para essa operação.

E então, gostou desse conteúdo? Quer ficar por dentro das novidades do mercado financeiro e descobrir formas de simplificar suas integrações bancárias? Converse com nossos especialistas e desfrute dos benefícios da plataforma Theke.